terça-feira, 14 de agosto de 2012

SINAL DA CRUZ: PERSIGNAÇÃO E BENÇÃO

 
Muitos de nós nos benzemos com o Sinal da Cruz, mas não paramos para meditar cada gesto que forma o sinal em nossa face. Alguns de nós pode ter aprendido este significado quando ainda era muito pequeno, no tempo da catequese, e por essa razão ter esquecido. Outros nunca tiveram acesso a essa explicação.
O Sinal da Cruz se faz de dois modos: Persignando-se e Benzendo-se
Benzer-se é fazer uma cruz, com a mão direita aberta, da testa ao peito e do ombro esquerdo ao direito, dizendo: Em nome do Pai, e do Filho, + e do Espírito Santo. Amém.
Esse não é apenas um gesto simbólico,por Ele expressamos, anunciamos três verdades ou dogmas fundamentais da nossa religião: o Dogma da Santíssima Trindade, da Encarnação e da Morte de Jesus Cristo. Quando você diz: “Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo”, você está proclamando o Mistério da Santíssima Trindade. “Quando você leva à testa as pontas do dedo da mão direita aberta, dizendo”: “Em nome do Pai”… você desse com a mão na vertical e toca no peito continuando: “…e do Filho”, você está indicando o mistério da Encarnação: o Filho de Deus desceu ao seio da Virgem Maria. Depois, levando a mão direita para o ombro esquerdo (e do “Espírito…”) você completa a cruz tocando o ombro direito (“… Santo…”), você está indicando a morte de Jesus na Cruz.
Persignar-se é fazer três cruzes com o dedo polegar da mão direita aberta: a primeira na testa; a segunda na boca; a terceira no peito, dizendo: Pelo Sinal + da Santa Cruz, Livrai-nos, Deus, + Nosso Senhor, dos nossos + Inimigos.
Existe uma piedosa explicação que nos diz que a cruz na testa é para Deus nos livrar dos maus pensamentos; na boca, para nos livrar das más palavras; e, no peito, para nos livrar das más ações. Mas existe um sentindo Litúrgico mais abrangente e expressivo para o verdadeiro cristão autêntico na fé e na boa nova do Evangelho: A cruz na testa , lembra que o Evangelho deve ser entendido, estudado, conhecido; a cruz nos lábios lembra que o evangelho deve ser proclamado, anunciado (missão de todo cristão); e a cruz no peito, à altura do coração, nos indica que o evangelho, acima de tudo, deve ser vivido, pregado e testemunhado por todos os que acreditam que Cristo ressuscitou. Também o Cristão que for fazer a proclamação e leitura da Boa Nova, deve fazer a cruz na leitura do Evangelho a ser lido, indicando com isso que cada palavra pronunciada seja um despertar para cada cristão ser luz e sal para o mundo.
O momento em que geralmente fazemos o persignar-se é na liturgia da palavra, quando nos preparamos para ouvir a Palavra de Deus. Devemos com isso também estarmos de Pé, indicando com essa posição, que estamos prontos para seguir, dispostos a marchar com Jesus para onde Ele nos levar.
O Sinal da Cruz é o sinal do cristão: 1º porque serve para distinguir os cristãos dos infiéis, e 2º porque indica os principais mistérios da nossa fé.
Ele que foi traçado em nossa fronte no dia do nosso batismo assinala a marca de Cristo naquele que vai pertencer-lhe e significa a graça da redenção que Cristo nos proporcionou por sua cruz. Estamos marcados, toda a nossa vida pertence a Deus.
Devemos fazer o sinal da cruz pela manhã, ao despertar; à noite, ao deitar; antes e depois das refeições; no princípio e no fim de qualquer trabalho; antes de começar a oração; nas tentações e nos perigos.
E também quando passamos em frente a uma igreja por respeito e pelo desejo de que Deus esteja sempre presente em nossa vida.
Também o Cristão que for fazer a proclamação e leitura da Boa Nova, deve fazer a cruz na leitura do Evangelho a ser lido, indicando com isso que cada palavra pronunciada seja um despertar para cada cristão ser luz e sal para o mundo.
Hoje, infelizmente, milhares de católicos não fazem mais o sinal da cruz; os mesmos “esparramam” os dedos pelo rosto, peito e ombros, parece que estão mais se lavando do que benzendo-se. É preciso fazer o sinal da cruz com o máximo de piedade e respeito.
Devemos sempre através de nosso exemplo de Cristãos autênticos buscar corrigir nossos irmãos que ainda não conhecem o significado importantíssimo do sinal da cruz, dizendo a eles que não precisa dar o “tapinha na boca” nem beijar os dedos quando finalizamos com o “ Amém”. Usando é claro, o bom senso para não ferir nem magoar ninguém. Sinal este que hoje, muitas vezes, passa despercebido seu verdadeiro significado.

4 comentários:

  1. obrigada pelas informações, estou trabalhando esse tema na catequese, é interessante reavivar o assunto, para os catequisandos traz compromisso.

    ResponderExcluir
  2. Ótimo texto, bem explicativo! Muito obrigada.

    ResponderExcluir
  3. Ótimas informações. Deus continue abençoando-os e iluminando seus caminhos.Muita sabedoria para continuarem evangelizando!

    ResponderExcluir